RELATO DE CASO: DIABETES INSÍPIDUS NEUROGÊNICO

Patrícia Caroline Dos Santos, Yana Picinin Sandri, Bruna Comparsi, Juliana Foletto Fredo Roncato

Resumo


O diabetes insípidus neurogênico é uma síndrome caracterizada por aumento do volume urinário normal excretado, causando excessiva sensação de sede. A decorrência destes sintomas é devido a uma deficiência parcial ou total na síntese do hormônio antidiurético (ADH) pela região hipotâlamica-hipofisária do cérebro. Sintomas como, noctúria, hipernatremia e hipertensão também estão presentes. E em virtude desta doença ser caracterizada por alguma lesão ao hipotálamo, danos ao sistema nervoso central estão comumente associados, tais como, cirurgias, traumas, infecções e tumores. O caso clínico relatado refere-se a um paciente de 48 anos de idade, do sexo masculino, que
no ano de 2006, procurou subsídio médico, queixando-se de intensa poliúria e polidpsia, noctúria, taquicardia e elevação da pressão arterial (180-110mmHg), com o agravamento, destes sintomas há, pelo menos, 12 meses. A fim de realizar o diagnóstico, o clínico solicitou ao paciente, exames laboratoriais bioquímicos sanguíneos e urinários. Também, realizou estudos complementares para determinação da etiologia da doença, uma vez que, o exame de neuro-imagem é conclusivo para o diagnóstico. Logo, no ano de 2007, o paciente obteve o diagnóstico
de diabetes insípidus neurogênico total. Neste artigo relatamos e discutimos as principais alterações laboratoriais, desencadeadas pela doença. Com o intuito de despertar a atenção para a importância dos exames laboratoriais no diagnóstico do diabetes insípidus neurogênico e para o permanente acompanhamento da doença, devido ao surgimento provável de complicações futuras, como desidratação severa, acompanhada de dano cerebral irreversível e até mesmo a morte.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2447-7079 (online)

ISSN 1883-2230 (Impresso - descontinuado a partir de v.6, n 11-12 (2013))